Mais

    7 heróis flamengos que jamais vestiram rubro-negro

    Publicado em:

    Um clube se faz com homens, livros, heróis e vilões. E, claro, com aqueles clássicos personagens que dão vida ao futebol: os jogadores azarados que fazem a torcida feliz – a torcida adversária, claro.

    A pedido dos leitores, o Blog do Fla lista hoje sete anti-heróis mitológicos que deram as maiores alegrias ao torcedor rubro-negro, sem jamais ousarem vestir a camisa do Flamengo. Entre eles, um juiz inclemente e um guarda-metas guerrilheiro.

    7. Marcio Theodoro

    Marcio Paraíso Theodoro viveu seu inferno no Maracanã, ao recuar para Romário uma bola adocicada, no decisivo Flamengo x Botafogo de 1995, final da Taça Guanabara. A torcida, agradecida, fez logo uma canção para o zagueirão, que depois seria campeão brasileiro no mesmo ano e se firmaria por oito anos no futebol português. Mas a música ecoa até hoje nos ouvidos daquela molecada rubro-negra: “Ô Márcio, te adoro…”.

    6. Bruce Grobbelaar

    Nascido na África do Sul e radicado no Zimbábue, o goleiraço foi um combatente feroz, tendo admitido várias mortes durante guerra civil na antiga Rodésia. Começou a jogar no Canadá, onde batia pênaltis, até ir parar no Liverpool, onde jogou por 13 temporadas e conquistou seis campeonatos ingleses, três Copas da Inglaterra, três copas da Liga Inglesa e uma Champions, em 1984. Entrou para a história flamenga em 1981, ao tomar aqueles três golaços em Tóquio, na conquista do Mundial Interclubes por Zico, Nunes, Adílio & cia.

    Liverpool 0 x 3 Flamengo – Final Copa Intercontinental de clubes – Jogo completo

    5. José Roberto Wright

    Tricolor de coração, o árbitro Wright é considerado por muitos torcedores rivais como o juiz que mais favoreceu o Flamengo. A torcida, embarcando na brincadeira, chegou até a lançar uma bandeira para o árbitro. A má fama de JRW começou em 1981, com a expulsão de cinco jogadores do Atlético Mineiro no Serra Dourada. Zico explicou o que se passou:  “Aconteceu uma coisa que eu nunca vi em 50 anos de futebol: o juiz interrompeu a partida, chamou os capitães dos dois times e avisou: vão lá e falem para o time de vocês que a primeira falta que alguém fizer por trás, eu vou expulsar, não tem mais cartão amarelo! Wright fez aquilo porque o jogo estava mesmo violento”. Cinco minutos depois do comunicado, o árbitro cumpriu o prometido, e expulsou Reinaldo por uma tesoura por trás. Começou uma série de xingamentos cabeludos por parte dos mineiros e deu no que deu.

    4. Nasa

    O volante pernambucano Gesiel José de Lima foi um vencedor. Mas virou improvável xodó do Flamengo ao dar azar em alguns lances capitais da história vascodagamense, de 1997 a 2001. Em célebre final interclubes de 1998, Nasa marcou contra, de cabeça, no primeiro gol do Real Madrid de Sávio & cia. No Estadual de 1999, o carregador de piano da meia-cancha do Vasco viu o raio cair novamente no mesmo lugar: a cobrança de falta de Rodrigo Mendes desviou na barreira, logo em Nasa. Hoje o incansável carregador de piano vive confortavelmente em Juazeiro do Norte. E não assiste mais futebol.

    3. Pablo

    Em 2018, o Flamengo estava de bom humor. O clube fez uma primeira proposta de seis milhões de euros (R$ 26,5 milhões) pelo atacante Pablo, após ele se destacar na Copa Sul-Americana pelo Atlético-PR. Após a recusa dos paranaenses, os cariocas aumentaram para sete milhões de euros. O Atlético-PR fixou o preço de Pablo em dez milhões de euros, o que levou algum cartola flamengo a pensar: “E aquele Gabi do Santos, hein?” O resto é história.

    2. Samuel Eto’o

    Jamais um jogador camaronês foi tão cantado no Maracanã. Mesmo que para ser considerado pior que o mítico Obina, e sua patada atômica.

    1. Pinola

    Saudado por toda a nação rubro-negra ao se aposentar, o zagueiro argentino Javier Pinola até ri de sua fama junto aos torcedores do Flamengo. Ele contou que, depois de falhar no segundo gol rubro-negro em Lima, não conseguia mais dar bronca em sua filhinha: ela começava a gritar Gabigol, saía rindo e desmoralizava o xerifão do River Plate. Que família de ídolos, essa família Pinola.

    Final da libertadores 2019 – Flamengo x River Plate – 5 minutos finais

    Escrito por: Marcelo Dunlop

    Faltou algum outro cracaço? Comente com a nação do Blog do Fla, abaixo.

    Leia também: Top 10 maiores treinadores da história do Flamengo


    Publicidade
    1xbet

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Em destaque

    Copa do Brasil: Fluminense vs Flamengo – Transmissão ao vivo, horário e formações

    Descubra mais sobre os desfalques, a arbitragem e outros detalhes relevantes para a primeira...

    Os 10 maiores treinadores da história do Flamengo

    Há pouco mais de cem anos, o Clube de Regatas do Flamengo anunciava o...

    Os 6 Maiores Capitães da História do Flamengo

    Ser capitão de um clube como o Flamengo é uma honra que vem acompanhada...