Mais

    Os 14 Melhores Laterais Que Fizeram História no Flamengo

    Publicado em:

    No futebol moderno, a importância de contar com laterais talentosos é inegável. Esses jogadores têm um papel crucial na formação de times vencedores. Ao longo de sua rica história, o Flamengo teve o privilégio de contar com laterais que marcaram época, deixando um legado indelével no coração dos torcedores rubro-negros.

    Neste artigo, vamos mergulhar em uma jornada histórica pelas alas do Flamengo, conhecendo as lendas que defenderam essa camisa com maestria e conquistaram títulos memoráveis.

    1. Paulo Henrique: O Capitão da Era Dourada

    Paulo Henrique, lateral-esquerdo, deu seus primeiros passos no time profissional do Flamengo em 1960. Com sua habilidade ímpar e liderança dentro de campo, tornou-se o dono da posição e capitão da equipe por quase 12 anos. Foram 437 jogos e 14 gols marcados pelo clube. Paulo Henrique conquistou 19 títulos, incluindo os Campeonatos Cariocas de 1963, 1965 e 1972, e o Torneio Rio-São Paulo de 1961. Sua excelência não se limitou ao Flamengo, pois em 1966, foi convocado para representar a Seleção Brasileira na Copa do Mundo na Inglaterra.

    2. Rodrigues Neto: A Sucessão de um Ídolo

    Após a Era Paulo Henrique, o sucessor na lateral-esquerda foi Rodrigues Neto, revelado pelo Vitória do Espírito Santo. Entre 1967 e 1975, ele brilhou com a camisa rubro-negra em 435 partidas, anotando 29 gols. Rodrigues Neto conquistou o Campeonato Carioca de 1972 e 1974. Sua qualidade e talento também o levaram à Seleção Brasileira em 1972, e posteriormente, disputou a Copa de 1978, na Argentina. No entanto, em uma troca envolvendo o Fluminense, o lateral Toninho Baiano chegou ao Flamengo, e Rodrigues Neto seguiu seu caminho.

    3. Toninho Baiano: O Preciso Lateral-direito

    Toninho Baiano, lateral-direito, defendeu o Flamengo entre 1976 e 1980. Dotado de grande força física e habilidades ofensivas, ele se destacou por sua precisão nos cruzamentos e coragem nas divididas.

    Titular na campanha do primeiro título Brasileiro do Flamengo em 1980, ao lado de Zico, Júnior e Adílio, Toninho Baiano também participou do tricampeonato carioca em 1978-79. Sua atuação impressionante na equipe o levou à convocação para a Copa do Mundo na Argentina em 1978. Ao longo de sua passagem, Toninho Baiano disputou 241 jogos e marcou 23 gols.

    4. Júnior: O Maior Lateral da História do Flamengo

    Júnior é considerado o maior lateral da história do Flamengo e uma das lendas do futebol brasileiro. Vestindo a camisa rubro-negra, ele entrou em campo 876 vezes, um recorde, entre 6 de novembro de 1974 e 19 de agosto de 1993, marcando 78 gols. Júnior foi quatro vezes campeão brasileiro, venceu a Libertadores e conquistou seis títulos cariocas.

    Prévia do Documentário do Maestro Júnior

    Sua presença na Seleção Brasileira também foi marcante, com participações em duas Copas do Mundo (1982 e 1986). Sua habilidade, visão de jogo e dedicação o tornaram uma referência no futebol nacional.

    5. Leandro: O Prata da Casa Brilhando na Direita

    Com a saída de Toninho Baiano em 1980, o Flamengo promoveu um prata da casa ao time titular, e Leandro assumiu o posto na lateral-direita. Ao lado de Júnior, formou uma dupla imbatível nas alas rubro-negras. Foi um dos destaques do lendário time de 1981, que conquistou a Libertadores e o Mundial.

    Rubro-negro de coração, Leandro dedicou toda a sua carreira ao Flamengo, disputando 415 jogos e conquistando três títulos brasileiros (1982-83-87). Infelizmente, sua carreira foi interrompida precocemente por uma grave lesão no joelho, que o levou a atuar também como zagueiro.

    6. Jorginho: A Continuidade do Sucesso

    Com a mudança de posição de Leandro, Jorginho, revelado nas divisões de base do America, assumiu a lateral-direita rubro-negra. Em cinco anos no Flamengo, ele contribuiu para a conquista de importantes títulos, como o Campeonato Carioca de 1986 e o Brasileiro de 1987.

    Seu desempenho em campo o levou à Seleção Brasileira, e ele se tornou um dos tetracampeões mundiais em 1994. Depois de sua passagem vitoriosa pelo Flamengo, Jorginho deixou o clube em 1989 para atuar no Bayer Leverkusen, da Alemanha.

    7. Leonardo: O Jovem Talento da Lateral-esquerda

    Leonardo, lateral-esquerdo, foi formado nas categorias de base do Flamengo em 1987 e, com apenas 17 anos, foi lançado no time principal durante o Brasileirão. Participou da Era Zico e fez parte do time que conquistou o tetracampeonato.

    Leonardo também venceu a Copa do Brasil em 1990 antes de deixar o clube. Pela Seleção Brasileira, representou o país na Copa de 1994. Seu talento e juventude brilharam intensamente no Flamengo antes de sua saída para novos desafios.

    8. Charles Guerreiro: A Dedicada Ala Direita

    A ala direita do Flamengo encontrou seu dono entre 1991 e 1992, Charles Guerreiro. Ao lado de Júnior, ele conquistou o Campeonato Carioca de 1991 e o Campeonato Brasileiro de 1992.

    O desempenho impressionante de Charles o levou à Seleção Brasileira em um amistoso contra a Inglaterra em 1992, além de outra convocação para um amistoso contra a Argentina em 1995. Sua dedicação e qualidade em campo fizeram dele uma figura inesquecível para os torcedores do Flamengo.

    9. Athirson: O Lateral-esquerdo das Conquistas

    Após Júnior e Leonardo, o Flamengo revelou outro grande lateral-esquerdo em 1996, Athirson. Sua melhor fase no clube ocorreu nos anos de 1999 e 2000, quando conquistou a Copa Mercosul e dois Campeonatos Cariocas.

    Em três passagens pelo clube, Athirson atuou em 252 partidas e marcou 37 gols. Sua presença consistente na lateral-esquerda e suas contribuições ofensivas foram essenciais para o sucesso do Flamengo naquela época.

    10. Juan: O Lateral-Esquerdo Incansável

    Juan, revelado pelo São Paulo, chegou ao Flamengo em 2006 e tornou-se o lateral-esquerdo titular por cinco anos. Nesse período, ele venceu um tricampeonato carioca (2007-08-09), uma Copa do Brasil (2006) e um Brasileiro (2009). Em 256 jogos pelo Flamengo, Juan deixou sua marca com 32 gols.

    Sua dedicação incansável em campo e habilidades defensivas e ofensivas o tornaram uma peça valiosa na equipe rubro-negra.

    11. Léo Moura: O Símbolo de uma Década

    Entre 2005 e 2014, Léo Moura se tornou um verdadeiro símbolo do Flamengo. Sua passagem pelo clube foi intensa e marcante, com muitas conquistas e momentos emocionantes. Participou ativamente de títulos importantes, incluindo a Copa do Brasil de 2006, o Brasileirão de 2009 e a Copa do Brasil de 2013.

    Ao longo de sua carreira no Flamengo, ele foi cinco vezes campeão carioca (2007, 2008, 2009, 2011 e 2014). Léo Moura deixou o clube no início de 2015 após 519 partidas e 47 gols marcados, encerrando uma era de sucesso na lateral-direita rubro-negra.

    12. Rafinha: Líder Nato

    Rafinha foi uma figura emblemática durante sua passagem pelo Flamengo, consolidando-se como um dos laterais-direitos mais bem-sucedidos na história recente do clube. O jogador, que chegou ao Rubro-Negro em 2019, trouxe consigo uma bagagem invejável de experiência adquirida em clubes de alto nível europeu, como o Bayern de Munique.

    Durante o tempo em que vestiu o manto sagrado, Rafinha provou ser uma peça-chave na conquista de títulos significativos. No mesmo ano de sua chegada, o Flamengo, sob o comando do técnico português Jorge Jesus, conquistou a Copa Libertadores da América e o Campeonato Brasileiro, feito histórico que não acontecia desde 1981. Rafinha, com sua mentalidade vencedora e liderança dentro de campo, desempenhou papel fundamental nesses triunfos.

    O lateral-direito brasileiro se destacava não só por sua excelência defensiva, mas também pelo seu ímpeto ofensivo. Sua habilidade em realizar cruzamentos precisos e contribuir nas jogadas ofensivas fazia dele uma arma valiosa na estratégia do Flamengo.

    13. Filipe Luis: Lateral Completo

    Filipe Luís, um dos mais consagrados laterais-esquerdos do futebol mundial, marcou uma passagem notável pelo Flamengo. Trazendo consigo uma rica experiência internacional, acumulada em clubes renomados como Atlético de Madrid e Chelsea, Filipe Luís chegou ao Rubro-Negro em 2019 e logo se estabeleceu como uma peça vital da equipe.

    A chegada de Filipe Luís ao Flamengo coincidiu com um dos períodos mais gloriosos da história recente do clube. Em 2019, com ele como um dos pilares defensivos, o Flamengo conquistou a Copa Libertadores da América e o Campeonato Brasileiro, numa temporada memorável e até hoje vem conquistando tudo que pode pelo clube.

    Filipe Luís se destacou não apenas por sua sólida defesa, mas também por seu importante papel ofensivo. Sua habilidade em realizar cruzamentos precisos e sua participação constante na criação de jogadas tornaram-se características essenciais para o estilo de jogo do Flamengo.

    Além do seu impacto dentro de campo, Filipe Luís também deixou sua marca fora dele. Rapidamente se tornou um ídolo para a torcida do Flamengo, graças à sua dedicação, profissionalismo e amor pela camisa. Sempre com um respeito evidente pelo clube e seus torcedores, Filipe Luís demonstrou uma profunda conexão com a Nação Rubro-Negra.

    Momento de desconcentração no Mengão

    Portanto, a passagem de Filipe Luís pelo Flamengo será lembrada como um período de grande sucesso e de estreita ligação com a torcida. O lateral-esquerdo brasileiro deixou um legado que perdurará na memória dos torcedores por muitos anos, não apenas pelas conquistas, mas também pela sua postura exemplar como atleta e sua identificação com o clube.

    14. Rodinei

    Rodinei teve uma passagem significativa pelo Flamengo, marcando sua presença no clube como lateral-direito entre os anos de 2016 e 2022. Contratado após se destacar pelo Ponte Preta, o jogador chegou ao Rubro-Negro com a difícil tarefa de suprir a posição, que há tempos buscava um titular absoluto.

    Durante sua estadia no Flamengo, Rodinei viveu altos e baixos. Apesar de ter enfrentado críticas em alguns momentos, é inegável a sua entrega em campo e a vontade de contribuir para o sucesso da equipe. Sua velocidade e força física eram algumas de suas principais características, fazendo dele uma opção tanto para a defesa quanto para o ataque.

    Rodinei esteve presente em algumas conquistas importantes do clube, como a do Copa Libertadores 2019 e 2022, e da Copa Brasil de 2022. Nesta última, marcou o último penalti que levou o Mengão ao título contra o Corinthians no Maracanã.

    Veja a engraçada história contada por Rodinei desse pênalti

    A relação de Rodinei com a Nação Rubro-Negra sempre foi marcada por muito respeito e dedicação. Apesar das adversidades, o lateral nunca escondeu sua gratidão pelo clube e pela torcida, demonstrando em diversas ocasiões seu amor pelo manto sagrado.

    Um Legado de Glórias e Superação

    Esses são apenas alguns dos laterais que fizeram história no Flamengo. Cada um deixou uma marca indelével no clube e na memória dos torcedores. Suas conquistas, talento e dedicação inspiraram gerações de jogadores e continuam sendo reverenciadas pelos amantes do futebol.

    É importante lembrar que craque o Flamengo faz em casa e sempre teremos a esperança de ver o surgimento de novos ídolos das laterais nos próximos anos como o caso de Wesley na atual temporada.

    Assim, a trajetória desses ídolos é uma prova do poder de uma equipe unida e comprometida com a busca pela vitória. O Flamengo sempre será lembrado por seus laterais marcantes, que ajudaram a construir uma das páginas mais brilhantes da história do futebol brasileiro.

    Por fim, deixe sua opinião e SRN!


    Publicidade
    1xbet

    DEIXE UMA RESPOSTA

    Por favor digite seu comentário!
    Por favor, digite seu nome aqui

    Em destaque

    Flamengo x Ñublense: Análise detalhada da 2ª rodada da Copa Libertadores

    Flamengo x Ñublense se enfrentaram pela 2ª rodada da Copa Libertadores, em um jogo...

    Flamengo enfrenta o Grêmio com 2 desfalques na Copa do Brasil

    O atual campeão da Copa do Brasil, o Flamengo, está se preparando para um...

    A torcida do Flamengo: A paixão e o engajamento da Nação Rubro-Negra

    A torcida do Flamengo, conhecida como Nação Rubro-Negra, é uma das mais apaixonadas e...